Notícias

categorias

16 ago

Abertura dos Mercados – 16 – Agosto – 2019

Abertura dos Mercados – Futuros e Commodities: S&P-500: 2.873,12 +0,86% | Bovespa: 101.020 +1,14% | Petróleo WTI: 54,87 +0,73% | USD/BRL: 3.989,00 -0,21%

Os mercados financeiros globais encerram a semana com viés positivo, revertendo a tendência negativa dos últimos dias. Na Ásia as principais bolsas da região encerraram o dia com ganhos, após os sinais de intenção do governo chinês de adotar um plano de estímulo para o crescimento econômico do país. O índice de Shanghai fechou com ganho de 0,29%, enquanto o Nikkei japonês encerrou o dia subindo 0,06%. Na Europa, o DAX alemão avança 0,82%, o CAC francês sobe 0,90% e o FTSE de Londres opera com ganhos de 0,44%. Nos Estados Unidos, a divulgação acima do esperado de dados sobre a produção industrial, vendas no varejo e auxílio-desemprego dissiparam, por ora, o temor de recessão no país e reforçaram a percepção de que o diferencial de crescimento da economia norte-americana em relação ao mundo poderá continuar presente. Agora pela manhã o futuro do índice S&P opera com ganho de 0,86%, em dia em que serão conhecidos os dados sobre a construção de moradias no mês de Julho e a leitura preliminar de Agosto do índice de confiança do consumidor. No Brasil temos uma sexta-feira com a agenda vazia, ganhando relevância no noticiário local as discussões acerca da aprovação da Lei do Abuso de Autoridade no Congresso na noite de quarta-feira. Enquanto a ala ideológica do Planalto defende o veto total ao projeto pelo presidente, outro grupo prefere que ele simplesmente sancione a lei em razão dos projetos de seu interesse que ainda tramitam na Câmara e no Senado. No front corporativo, teremos hoje as teleconferências dos resultados da Copel e Eternit.

Empresas e Setores

  • Alibaba: A companhia reportou lucro líquido de US$ 3,1 bilhões no trimestre fiscal encerrado em Junho deste ano, valor que representa uma alta de 145% frente ao lucro apurado um ano antes.
  • Avianca Holdings: A companhia reportou prejuízo de US$ 408 milhões no segundo trimestre deste ano, ampliando a perda de US$ 35,7 milhões registrada no mesmo trimestre de 2018.
  • Banco do Brasil (BBAS3): O banco firmou parceria com a Dotz com o objetivo de lançar um cartão de crédito no modelo “co-branded” para os 40 milhões de clientes do programa de fidelidade.
  • BR Distribuidora (BRDT3): A companhia iniciou a etapa de divulgação da oportunidade de desinvestimento referente ao processo de alienação da sua participação acionária na empresa Stratura Asfaltos.
  • Cemig (CMIG4): A companhia apresentou lucro líquido de R$ 2,1 bilhões no segundo trimestre deste ano, revertendo o resultado negativo de R$ 10,9 milhões reportado no mesmo período de 2018.
  • Eternit (ETER3): A companhia apurou prejuízo atribuído aos sócios controladores no valor de R$ 29,5 milhões no segundo trimestre de 2019, uma redução de 15,1% ante a perda registrada em igual período do ano passado.
  • Eucatex (EUCA4): A companhia registrou lucro líquido atribuído aos sócios controladores no valor de R$ 14,2 milhões no segundo trimestre deste ano, revertendo o resultado negativo de R$ 11,6 milhões apurado no mesmo trimestre de 2018.
  • Grupo Votorantim: O grupo obteve lucro líquido consolidado de R$ 225 milhões no segundo trimestre deste ano, alta de 54% na comparação com o mesmo período do ano passado.
  • Oi (OIBR3): A companhia informou que avalia a possibilidade de ampliar investimentos neste ano para até R$ 7,5 bilhões, com foco na aceleração de sua base de clientes conectados a serviço de fibra óptica (FTTH).
  • Óleo e Gás: Segundo estudo realizado pela Ernst & Young em colaboração com o Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP) o setor de óleo e gás no Brasil poderá gerar investimentos de cerca de US$ 225 bilhões, gerando 474 mil novos empregos nos próximos oito anos.
  • Petrobras (PETR4): A companhia iniciou a fase vinculante referente à venda da totalidade de sua participação na Breitener Energética, localizada no Estado do Amazonas.
  • Positivo (POSI3): A companhia registrou lucro líquido atribuível aos acionistas no valor de R$ 9,8 milhões, revertendo a perda de R$ 11,6 milhões obtida no mesmo período de 2018.

Fontes: Bloomberg, Thomson Reuters, jornal Valor Econômico, jornais diversos e relatórios de terceiros.

Esta mensagem e seus anexos podem conter informações confidenciais ou privilegiadas. Se você não é o destinatário dos mesmos você não está autorizado a utilizar o material para qualquer fim. Solicitamos que você apague a mensagem e avise imediatamente ao remetente. O conteúdo desta mensagem e seus anexos não representam necessariamente a opinião e a intenção da empresa, não implicando em qualquer obrigação ou responsabilidade por parte da mesma. As análises refletem única e exclusivamente as opiniões pessoais dos analistas responsáveis e são elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Capital Investimentos. As estimativas e previsões de eventos são baseadas em informações públicas e em fontes que julgamos dignas de crédito, embora sua precisão e completude não possam ser garantidas. Ocasionalmente, executivos ou funcionários da Capital Investimentos podem, de acordo com o permitido por lei, possuir uma posição, ou de outra maneira estarem interessados em transações com ativos direta ou indiretamente relacionados com este relatório. Rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Este relatório não constitui uma recomendação de compra ou venda e destina-se apenas a fomentar o debate de ideias. O utilizador aceita que o conteúdo, erros ou omissões não podem ser fundamentos para qualquer reclamação ou ação legal. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser consideradas como uma oferta de aquisição de cotas dos fundos de investimentos. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura,  sempre leia o prospecto e o regulamento antes de investir.
Mostrar mais

Cadastre-se e receba nossos relatórios