Notícias

categorias

17 nov

Abertura dos Mercados – 17 – Novembro – 2017

Abertura dos Mercados – Futuros e Commodities: S&P-500: 2.583,00 -0,08% — Bovespa: 72.830 +0,04% — Petróleo WTI: 56,16 +1,85% — USD/BRL: 3.281,00 +0,03%

Após um dia de valorização das bolsas norte-americanas (S&P +0,82%, Dow +0,80% e Nasdaq +1,30% atingindo nova máxima), o tom dos mercados externos hoje é neutro. A alta de ontem foi em função da percepção de que a reforma tributária nos Estados Unidos está perto de ser concluída. Hoje será votada no Comitê de Finanças a reforma alternativa dos senadores republicanos, que basicamente se diferencia pelo timing, com a redução dos impostos vigorando apenas a partir de 2019. Segundos os jornais, caso seja aprovada o mais provável é que haja um consenso entre as duas propostas e a reforma seja aprovada até o Natal. Nos Estados Unidos, o índice futuro do S&P mostra pequena queda de 0,08% e na Europa, o DAX alemão tem valorização de 0,14% e o FTSE de Londres opera com pequena alta de 0,12%. Na Ásia, o Nikkei terminou o dia subindo 0,27% e Shanghai encerrou com queda de 0,48%. No Brasil, após uma folga de dez dias, os parlamentares voltam dia 21 para concorrer às possíveis vagas nos ministérios. A novela continua, o ano se aproxima do fim e Temer segue tentando a melhor estratégia para conseguir o quórum de 308 votos necessários para aprovação de uma PEC.

Empresas e Setores

  • Ambev (ABEV3): A companhia informou que Eduardo Braga Cavalcanti de Lacerda assumirá o cargo de diretor de refrigerantes da empresa, em substituição a Fernando Dias Soares.
  • Avianca Holdings: A companhia registrou lucro líquido de US$ 37,8 milhões no terceiro trimestre deste ano, queda de 4,5% na comparação com o resultado reportado no mesmo trimestre de 2017.
  • CVC (CVCB3): A companhia informou que a Neo Investimentos atingiu participação de 5,28% no seu total de ações ordinárias.
  • Estácio (ESTC3): A companhia informou que o Goldman Sachs passou a deter participação de 8,55% no seu capital social.
  • Fleury (FLRY3): O Conselho de Administração da companhia aprovou uma nova emissão de debêntures no valor total de R$ 300 milhões e com prazo de vencimento em cinco anos.
  • Imóveis: Segundo o índice FipeZap, o preço médio do aluguel residencial nas 15 maiores cidades brasileiras no mês de Outubro recuou 0,28% ante o registrado no mês anterior, contribuindo para uma variação nominal negativa de 0,8% no acumulado dos últimos doze meses, na base de comparação anual.
  • Light (LIGT3): O Conselho de Administração da companhia aprovou uma nova emissão de debêntures simples no valor total de até R$ 100 milhões.
  • Localiza (RENT3): O Conselho de Administração da companhia autorizou uma nova emissão de debêntures no montante total de até R$ 1,2 bilhão.
  • Marfrig (MRFG3): A companhia anunciou sua adesão ao Refis, com o objetivo de refinanciar sua dívida consolidada de aproximadamente R$ 1,3 bilhão.
  • Minerva (BEEF3): A companhia comunicou que o BNP Paribas reduziu para menos de 5,0% a participação no seu capital social.
  • Petrobras (PETR4): A companhia comunicou a captação de recursos com um sindicato de bancos comerciais no valor de US$ 1 bilhão. A companhia informou também que Roberto Moro, renunciou ao cargo de Diretor Executivo de Desenvolvimento da Produção e Tecnologia da empresa, sendo substituído interinamente por Hugo Repsold Júnior.
  • Santos Brasil (STBP3): A companhia celebrou acordo com a União Federal visando prorrogar para até 2033 o contrato de concessão do Tecon Vila do Conde, terminal de contêineres localizado no estado do Pará, com o compromisso da realização de investimentos no montante de R$ 129 milhões.
  • Varejo: Segundo o Índice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA), a receita de vendas do comércio varejista do país no mês de Outubro registrou um crescimento real de 0,4% com relação ao registrado no mesmo mês de 2016, no terceiro mês consecutivo de alta após uma sequência de 2 anos de retração.
  • Vivendi: A companhia reportou lucro líquido de € 223 milhões no terceiro trimestre deste ano, queda de 15,4% frente ao resultado obtido no mesmo período de 2016.

Fontes: Bloomberg, Thomson Reuters, jornal Valor Econômico, jornais diversos e relatórios de terceiros.

Esta mensagem e seus anexos podem conter informações confidenciais ou privilegiadas. Se você não é o destinatário dos mesmos você não está autorizado a utilizar o material para qualquer fim. Solicitamos que você apague a mensagem e avise imediatamente ao remetente. O conteúdo desta mensagem e seus anexos não representam necessariamente a opinião e a intenção da empresa, não implicando em qualquer obrigação ou responsabilidade por parte da mesma. As análises refletem única e exclusivamente as opiniões pessoais dos analistas responsáveis e são elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Capital Investimentos. As estimativas e previsões de eventos são baseadas em informações públicas e em fontes que julgamos dignas de crédito, embora sua precisão e completude não possam ser garantidas. Ocasionalmente, executivos ou funcionários da Capital Investimentos podem, de acordo com o permitido por lei, possuir uma posição, ou de outra maneira estarem interessados em transações com ativos direta ou indiretamente relacionados com este relatório. Rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Este relatório não constitui uma recomendação de compra ou venda e destina-se apenas a fomentar o debate de ideias. O utilizador aceita que o conteúdo, erros ou omissões não podem ser fundamentos para qualquer reclamação ou ação legal. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser consideradas como uma oferta de aquisição de cotas dos fundos de investimentos. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura,  sempre leia o prospecto e o regulamento antes de investir.
Mostrar mais

Cadastre-se e receba nossos relatórios