Abertura dos Mercados – Futuros e Commodities: S&P-500: 3.475,38 -0,14% | Bovespa: 101.000 +0,35% | Petróleo WTI: 43,26 -0,30% | USD/BRL: 5.596,50 -0,28%

Os mercados financeiros globais operam em queda nesta manhã de quinta-feira, a espera de um dia com importantes eventos e divulgações na agenda internacional. Nos Estados Unidos teremos a divulgação do PIB do segundo trimestre, números de pedidos de auxílio-desemprego semanais, vendas pendentes de imóveis em julho e, mais importante, o discurso de Jerome Powell no simpósio de Jackson Home, quando o Fed deverá sinalizar os caminhos para a política monetária futura. O índice futuro S&P aponta para abertura em queda de 0,14% e na Europa as bolsas operam majoritariamente no vermelho, com o DAX alemão e o CAC francês caindo, respectivamente, 0,23% e 0,24%, enquanto em Londres o FTSE sobe 0,03%. Na Ásia as bolsas fecharam sem tendência definida, com o Nikkei em queda de 0,35% e o índice de Shanghai em alta de 0,61%. Na China o lucro industrial cresceu 19,6% em julho acelerando contra junho. No cenário doméstico, seguem as preocupações com a deterioração fiscal, ampliadas pelas críticas públicas do presidente Jair Bolsonaro ao ministro Paulo Guedes. Na agenda local, sem indicadores importantes previstos, a atenção se volta para a participação de Campos Neto (Banco Central) em reunião do CMN e para o desenrolar das divergências entre o presidente e o ministro da economia.

Empresas e Setores

  • BR Distribuidora (BRDT3): A companhia realizará o pagamento total aos acionistas de R$ 601,6 milhões, sob a forma de juros sobre capital próprio (JCP) e mais parcela de dividendos.
  • Brasil Brokers (BBRK3): A companhia informou que a gestora Squadra diminuiu sua participação acionária para 4,7%.
  • E-commerce: Segundo levantamento realizado pela empresa de carteiras digitais PayPal Brasil e pela consultoria de pesquisas BigData Corp, o mercado de comércio online no Brasil atingiu a marca de 1,3 milhões de lojas virtuais neste ano, crescimento de 40,7% frente ao ano de 2019 e acima do crescimento de 37,6% observado entre 2018 e o ano passado.
  • Eucatex (EUCA3): A companhia reportou lucro líquido de R$ 17,4 milhões no segundo trimestre deste ano, alta de 22,6% na comparação anual.
  • Guararapes (GUAR3): A companhia anunciou a emissão de R$ 700 milhões em debêntures.
  • Hypera (HYPE3): A companhia aprovou uma nova emissão de debêntures no valor total de R$ 735 milhões.
  • Indústria: Segundo dados da FGV, o Índice de Confiança da Indústria (ICI) brasileira atingiu 98,7 pontos no mês de agosto, alta de 8,9 pontos na comparação mensal e mostrando uma recuperação de 93,8% das perdas registradas entre março e abril.
  • Irani Papel e Celulose (RANI3): A companhia informou que o Morgan Stanley reduziu participação para 4,9% do total de ações ordinárias.
  • Marfrig (MRFG3): A companhia iniciou as vendas no Brasil da marca “Viva”, uma nova linha de produtos bovinos obtidos a partir de animais originários de propriedades sustentáveis, com carbono neutro.
  • Moura Dubeux (MDNE3): A companhia anunciou o lançamento de dois empreendimentos residenciais, nos estados de Pernambuco e do Ceará, somando um VGV (Valor Geral de Vendas) potencial de R$ 89 milhões.
  • MRV (MRVE3): O Conselho de Administração da companhia aprovou uma nova emissão de debêntures no valor de R$ 500 milhões.
  • Rumo (RAIL3): A Agência de classificação de risco S&P elevou o rating da companhia em escala nacional para “brAAA”, após oferta de ações.
  • Sanepar (SAPR11): O Governo do Estado do Paraná informou que irá pedir a suspensão do reajuste de 9,63% nas tarifas de água e esgoto da companhia, autorizadas pela Agência Reguladora do Paraná (Agepar) e que passariam a vigorar a partir de novembro.
  • Taurus Armas (TASA4): O BTG Pactual WM Gestão de Recursos aumentou sua participação acionária na companhia para 5,41%.
  • Telebras (TELB4): A companhia reduziu sua projeção de receita operacional bruta para 2020 de R$ 383,64 milhões, estimados em fevereiro, para R$ 330,62 milhões.
  • Terra Santa Agro (TESA3): O Conselho de Administração da companhia aprovou empréstimo de até US$ 15 milhões com banco australiano.
  • Vivara (VIVA3): A companhia obteve prejuízo líquido de R$ 1,6 milhão no segundo trimestre do ano, revertendo lucro de R$ 156,8 milhões reportado no mesmo intervalo de 2019.
  • Viver Incorporadora (VIVR3): A companhia informou que a gestora Jive Asset elevou para 5,81% a participação no capital social.
  • Wine: Segundo noticiário a loja virtual pretende levantar R$ 1 bi em uma oferta inicial de ações (IPO), coordenada pelos bancos Itaú BBA, BTG Pactual, BofA e XP.

Fontes: Bloomberg, Thomson Reuters, jornal Valor Econômico, jornais diversos e relatórios de terceiros.

Esta mensagem e seus anexos podem conter informações confidenciais ou privilegiadas. Se você não é o destinatário dos mesmos você não está autorizado a utilizar o material para qualquer fim. Solicitamos que você apague a mensagem e avise imediatamente ao remetente. O conteúdo desta mensagem e seus anexos não representam necessariamente a opinião e a intenção da empresa, não implicando em qualquer obrigação ou responsabilidade por parte da mesma. As análises refletem única e exclusivamente as opiniões pessoais dos analistas responsáveis e são elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Capital Investimentos. As estimativas e previsões de eventos são baseadas em informações públicas e em fontes que julgamos dignas de crédito, embora sua precisão e completude não possam ser garantidas. Ocasionalmente, executivos ou funcionários da Capital Investimentos podem, de acordo com o permitido por lei, possuir uma posição, ou de outra maneira estarem interessados em transações com ativos direta ou indiretamente relacionados com este relatório. Rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Este relatório não constitui uma recomendação de compra ou venda e destina-se apenas a fomentar o debate de ideias. O utilizador aceita que o conteúdo, erros ou omissões não podem ser fundamentos para qualquer reclamação ou ação legal. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser consideradas como uma oferta de aquisição de cotas dos fundos de investimentos. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura,  sempre leia o prospecto e o regulamento antes de investir.