Abertura dos Mercados – Futuros e Commodities: S&P-500: 3.250,62 -1,98% | Bovespa: 96.715 -1,42% | Petróleo WTI: 40,22 -2,66% | USD/BRL: 5.487,00 +1,74%

Os mercados financeiros globais operam em queda nesta manhã de segunda-feira, início de uma semana cheia de indicadores macroeconômicos. No cenário externo as bolsas caem, reflexo de suspeitas de uma segunda onda da Covid na Europa e nos Estados Unidos: a França bateu recorde em novos casos e o Reino Unido teve a maior alta desde maio enquanto os Estados Unidos registraram a maior alta em duas semanas. Na Europa as bolsas caem forte, com o DAX alemão, o CAC francês e o FTSE de Londres operando em baixas de, respectivamente, 3,29%, 3,20% e 3,45% e, nos Estados Unidos, o índice futuro S&P aponta para abertura em queda de 1,98%. Na agenda da semana no cenário externo destaque para as falas dos presidentes do Fed, BCE e Boj que serão os destaques da semana, embora Powell já tenha informado o que o mercado mais aguardava: que o Fed sozinho não faz milagre e que o Congresso precisará agir. No Brasil, tivemos hoje a divulgação do Boletim Focus com novamente melhora nas expectativas para a economia no ano: para 2020 os analistas esperam que o PIB caia 5,05% frente queda de 5,11% esperado na semana anterior. Na agenda doméstica destaque para a proposta nova para o Renda Brasil, vencimento e opções na Bovespa, ata da reunião do Copom e Relatório Trimestral de Inflação.

Empresas e Setores

  • CCR (CCRO3): A companhia registrou um movimento 3,3% maior nas rodovias sobre a sua administração entre os dias 11 e 17 de setembro, em comparação com o mesmo período de 2019.
  • CSN (CSNA3): Segundo noticiário o Conselho de Administração da companhia aprovou o novo plano de negócios da controlada CSN Mineração (CMIN), tendo em vista projetos de expansão para exploração completa do potencial de suas reservas e recursos, incluindo a realização de uma oferta inicial de ações (IPO).
  • Energias do Brasil (ENBR3): O Conselho de Administração da companhia, controlada pela portuguesa EDP, aprovou o pagamento de dividendos no montante de R$ 117 milhões, correspondendo ao valor bruto por ação de R$ 0,19.
  • Fras-Le (FRAS3): A companhia registrou receita líquida de R$ R$ 139,6 milhões no mês de agosto, alta de 5,2% na comparação com o mesmo mês de 2019.
  • Grupo Mateus: A companhia, que opera supermercados e lojas de atacado, definiu a faixa de preço entre R$ 8,97 e R$ 11,66 para cada ação de sua oferta pública inicial (IPO), que poderá movimentar até R$ 6,25 bilhões.
  • Indústria: A FGV divulgou que a prévia do Índice de Confiança da Indústria (ICI) brasileira no mês de setembro atingiu 105,9 pontos, valor que se confirmado representa uma alta de 7,2 pontos na comparação mensal no maior patamar para o indicador desde janeiro de 2013.
  • JSL Logística (JSLG3): A companhia realizará o pagamento no montante de R$ 77,4 milhões aos detentores de debêntures de sua 10ª emissão, emitidas em março de 2017, correspondendo aos valores por debênture de R$ 5,488 sob a forma de juros e R$ 214,48 sob a forma de amortização da operação.
  • Petrobras (PETR4): A companhia realizou o lançamento do programa Biorefino 2030, programa que visa preparar suas atividades de refino de gás natural para o mercado de baixo carbono, com projetos para a produção de uma nova geração de combustíveis mais modernos e sustentáveis que os atuais.
  • Ser Educacional (SEER3): A companhia informou que sua subsidiária CENESUP adquiriu a Faculdade de Juazeiro do Norte, no Estado do Ceará, pelo valor de R$ 24 milhões.
  • Vulcabras Azaleia (VULC3): A companhia fechou acordo com a Alpargatas para a compra da unidade de negócio relativa à operação da marca ‘Mizuno’ no Brasil pelo valor de R$ 32,5 milhões.

Fontes: Bloomberg, Thomson Reuters, jornal Valor Econômico, jornais diversos e relatórios de terceiros.

Esta mensagem e seus anexos podem conter informações confidenciais ou privilegiadas. Se você não é o destinatário dos mesmos você não está autorizado a utilizar o material para qualquer fim. Solicitamos que você apague a mensagem e avise imediatamente ao remetente. O conteúdo desta mensagem e seus anexos não representam necessariamente a opinião e a intenção da empresa, não implicando em qualquer obrigação ou responsabilidade por parte da mesma. As análises refletem única e exclusivamente as opiniões pessoais dos analistas responsáveis e são elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Capital Investimentos. As estimativas e previsões de eventos são baseadas em informações públicas e em fontes que julgamos dignas de crédito, embora sua precisão e completude não possam ser garantidas. Ocasionalmente, executivos ou funcionários da Capital Investimentos podem, de acordo com o permitido por lei, possuir uma posição, ou de outra maneira estarem interessados em transações com ativos direta ou indiretamente relacionados com este relatório. Rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Este relatório não constitui uma recomendação de compra ou venda e destina-se apenas a fomentar o debate de ideias. O utilizador aceita que o conteúdo, erros ou omissões não podem ser fundamentos para qualquer reclamação ou ação legal. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser consideradas como uma oferta de aquisição de cotas dos fundos de investimentos. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura,  sempre leia o prospecto e o regulamento antes de investir.