Abertura dos Mercados – Futuros e Commodities: S&P-500: 3.358,88 -0,41% | Bovespa: 99.190 -1,57% | Petróleo WTI: 42,75 -0,84% | USD/BRL: 5.639,50 +1,57%

Os mercados financeiros globais operam em queda nesta manhã de quinta-feira, com ações pressionadas depois que a ata da última reunião do Fed destacou dúvidas sobre a recuperação da maior economia do mundo, derrubando Wall Street das máximas recordes. Na Ásia as bolsas fecharam no vermelho, com o índice japonês Nikkei caindo 1,00% e o chinês Shanghai em queda de 1,30%. Na China o BC local manteve os juros inalterados (taxa para cinco anos segue em 4,65% e de um ano, em 3,85%). Na Europa as bolsas operam no vermelho, com o DAX alemão, o CAC francês e o FTSE de Londres caindo respectivamente 1,34%, 1,40% e 1,49% e nos Estados Unidos o índice futuro S&P aponta para abertura em baixa de 0,41%, à espera da divulgação dos pedidos iniciais de seguro-desemprego semanais no país. Além disso na agenda externa, o BCE divulga a ata da última reunião e o BC da Turquia decide sua taxa de juros. No front corporativo internacional o mercado aguarda as divulgações de resultados da gigante de comércio eletrônico chinesa Alibaba, bem como do grupo de cosméticos Estee Lauder. No Brasil, os investidores estão pessimistas afetados por preocupações com o ambiente fiscal e tendo de pano de fundo um viés negativo nos mercados no exterior. Ontem o Senado derrubou o veto presidencial ao projeto sobre reajuste salarial a categorias do serviço público durante a pandemia de Covid-19, o que segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, foi um “péssimo sinal”. No front corporativo o mercado aguarda o balanço de Cogna.

Empresas e Setores

  • B3 (B3SA3): A companhia encerrou o mês de julho com 2,85 milhões de investidores ativos no mercado de ações, crescimento de 6,6% em relação ao mês anterior e de 129,3% na comparação com o mesmo mês de 2019. O volume médio diário (ADV) de contratos negociados em julho atingiu a soma de 2,49 milhões, alta de 2,1% em um mês e de 76% em um ano. A receita por contrato (RPC) média fechou em R$ 977,00, queda de 10,1% em comparação com junho e de 5,8% contra julho do ano passado.
  • C&A (CEAB3): A companhia encerrou o segundo trimestre deste ano com prejuízo de R$ 192,1 milhões, revertendo lucro líquido de R$ 25,8 milhões reportado no mesmo trimestre de 2019.
  • Dimed (PNVL3): O Conselho de Administração da companhia, dona da rede de farmácias Panvel, aprovou a recompra de até 2 milhões de ações ordinárias e 240 mil ações preferenciais, até agosto de 2021.
  • Eleva Educação: Segundo noticiário a rede de escolas de ensino básico pretende realizar uma oferta pública inicial de ações no Brasil ou nos Estados Unidos que poderá movimentar cerca de R$ 1,5 bilhão.
  • Energisa (ENGI11): A companhia divulgou que o consumo de energia elétrica no mercado consolidado cativo e livre no mês de julho somou 2,85 mil gigawatts-hora (GWh), resultado 0,7% abaixo do reportado no mesmo mês de 2019.
  • Fras-Le (FRAS3): A companhia divulgou que a receita líquida no mês de julho somou R$ 128 milhões, queda de 1,6% no mês passado, na comparação anual. No acumulado de 2020, a receita líquida da companhia atingiu a soma de R$ 749,9 milhões, queda de 5,3% na comparação anual.
  • IRB (IRBR3): O Conselho de Administração da companhia indicou o nome de Carlos Guerra para o cargo de vice-presidente executivo de riscos.
  • Localiza (RENT3): A companhia anunciou a rescisão do contrato de cooperação de marcas com a Hertz, informando que a separação será realizada durante um período de seis meses e ainda estará sujeita à aprovação da corte norte-americana responsável pelo processo de recuperação judicial da Hertz.
  • Nestlé: A companhia pretende investir R$ 763 milhões em sua operação no Brasil neste ano, elevando em cerca de 40% o investimento de R$ 544,6 milhões realizado em 2019.
  • Porto Seguro (PSSA3): O Conselho de Administração da companhia aprovou o pagamento de dividendos no montante de R$ 317,74 milhões, correspondendo ao valor de R$ 0,98 por ação.
  • Randon (RAPT4): A companhia divulgou que a receita líquida no mês de julho somou R$ 464,3 milhões, queda de 3,0% no mês passado, na comparação anual.

Fontes: Bloomberg, Thomson Reuters, jornal Valor Econômico, jornais diversos e relatórios de terceiros.

Esta mensagem e seus anexos podem conter informações confidenciais ou privilegiadas. Se você não é o destinatário dos mesmos você não está autorizado a utilizar o material para qualquer fim. Solicitamos que você apague a mensagem e avise imediatamente ao remetente. O conteúdo desta mensagem e seus anexos não representam necessariamente a opinião e a intenção da empresa, não implicando em qualquer obrigação ou responsabilidade por parte da mesma. As análises refletem única e exclusivamente as opiniões pessoais dos analistas responsáveis e são elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Capital Investimentos. As estimativas e previsões de eventos são baseadas em informações públicas e em fontes que julgamos dignas de crédito, embora sua precisão e completude não possam ser garantidas. Ocasionalmente, executivos ou funcionários da Capital Investimentos podem, de acordo com o permitido por lei, possuir uma posição, ou de outra maneira estarem interessados em transações com ativos direta ou indiretamente relacionados com este relatório. Rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Este relatório não constitui uma recomendação de compra ou venda e destina-se apenas a fomentar o debate de ideias. O utilizador aceita que o conteúdo, erros ou omissões não podem ser fundamentos para qualquer reclamação ou ação legal. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser consideradas como uma oferta de aquisição de cotas dos fundos de investimentos. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura,  sempre leia o prospecto e o regulamento antes de investir.