Abertura dos Mercados – Futuros e Commodities: S&P-500: 3.320,88 -1,73% | Bovespa: 98.765 -0,93% | Petróleo WTI: 39,87 -0,72% | USD/BRL: 5.271,50 +0,59%

Os mercados financeiros globais operam em queda nesta manhã de quinta-feira. Na Ásia as bolsas fecharam em baixa, com o índice japonês Nikkei caindo 0,67% e o Shanghai Composite encerrando o dia em queda de 0,41%, com as empresas de saúde e de consumo chinesas liderando as perdas em meio à pressão de venda após uma onda de novas listagens, enquanto a fraqueza nas empresas de suinocultura pressionou as ações agrícolas. Na Europa as bolsas operam no vermelho, com o DAX alemão, o CAC francês e o FTSE de Londres caindo, respectivamente, 0,99%, 1,03% e 0,38%, enquanto nos Estados Unidos o índice futuro S&P aponta para abertura em queda de 1,73%. Na Zona do Euro os preços ao consumidor caíram em agosto e o núcleo da inflação que exclui elementos voláteis desacelerou com força também. No exterior na agenda do dia o BC inglês divulga sua decisão de política monetária e nos Estados Unidos saem o auxílio-desemprego e as construções de moradias iniciadas em agosto. No Brasil ontem o Banco Central manteve a Selic em sua mínima histórica de 2% ao ano após nove cortes consecutivos, conforme esperado pelo mercado, e, num comunicado sem grandes novidades quanto à política monetária, reconheceu que a inflação deve acelerar no curto prazo. Na agenda do dia destaque para a prévia do IPC-Fipe.

Empresas e Setores

  • Amazon: A companhia anunciou o lançamento do Luxury Stores, plataforma com produtos de luxo disponível no aplicativo da companhia no mercado americano para membros “Prime” elegíveis.
  • BRF (BRFS3): A companhia precificou em US$ 500 milhões os seus títulos de dívida externa (senior notes), com validade até setembro de 2050 e remuneradas à taxa de 5,75% ao ano.
  • Carrefour Brasil (CRFB3): A superintendência-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a aquisição pelo Brasil de 30 lojas e 14 postos de combustíveis operados pelo Makro.
  • Cemig (CMIG3): A agência de classificação de risco Moody´s elevou o rating da companhia de “B1” para “Ba3”, mantendo a perspectiva da nota positiva.
  • Copel (CPLE6): O Conselho de Administração da companhia autorizou a publicação de edital do leilão de desinvestimento de sua unidade de telecomunicações, Copel Telecomunicações, agendado para 9 de novembro e com preço mínimo de venda de R$ 1,4 bilhão para o “equity value”.
  • Eletrobras (ELET3): A agência de classificação de risco Moody´s elevou o rating da companhia para “Ba2”, alterando a perspectiva da nota de positiva para estável.
  • Itaú Unibanco (ITUB4): O banco informou que o número de acionistas cresceu 108% em comparação com dezembro de 2019, atingindo a marca de 500 mil investidores.
  • Light (LIGT3): Segundo noticiário a companhia considera a realização de uma oferta subsequente de ações que poderá levantar cerca de R$ 1,5 bilhão.
  • NotreDame Intermédica (GNDI3): O Conselho de Administração da companhia aprovou aumento de capital no valor de R$ 120,22 milhões, atingindo capital social de R$ 5,64 bilhões.
  • São Carlos (SCAR3): A companhia efetivou a captação de financiamento no volume de R$ 150 milhões, através de emissão de Cédula de Crédito Bancário.
  • Ser Educacional (SEER3): A companhia informou que a Oceana Investimentos diminuiu a participação acionária para 4,56%.

Fontes: Bloomberg, Thomson Reuters, Jornal Valor Econômico e relatórios de terceiros

Esta mensagem e seus anexos podem conter informações confidenciais ou privilegiadas. Se você não é o destinatário dos mesmos você não está autorizado a utilizar o material para qualquer fim. Solicitamos que você apague a mensagem e avise imediatamente ao remetente. O conteúdo desta mensagem e seus anexos não representam necessariamente a opinião e a intenção da empresa, não implicando em qualquer obrigação ou responsabilidade por parte da mesma. As análises refletem única e exclusivamente as opiniões pessoais dos analistas responsáveis e são elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Capital Investimentos. As estimativas e previsões de eventos são baseadas em informações públicas e em fontes que julgamos dignas de crédito, embora sua precisão e completude não possam ser garantidas. Ocasionalmente, executivos ou funcionários da Capital Investimentos podem, de acordo com o permitido por lei, possuir uma posição, ou de outra maneira estarem interessados em transações com ativos direta ou indiretamente relacionados com este relatório. Rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Este relatório não constitui uma recomendação de compra ou venda e destina-se apenas a fomentar o debate de ideias. O utilizador aceita que o conteúdo, erros ou omissões não podem ser fundamentos para qualquer reclamação ou ação legal. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser consideradas como uma oferta de aquisição de cotas dos fundos de investimentos. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura,  sempre leia o prospecto e o regulamento antes de investir.