Abertura dos Mercados – Futuros e Commodities: S&P-500: 3.212,62 +0,57% | Bovespa: 101.315 +0,46% | Petróleo WTI: 40,50 -0,61% | USD/BRL: 5.362,00 +0,54%

Os mercados financeiros globais operam sem tendência definida nesta manhã de Sexta-feira. Na Ásia as bolsas fecharam sem direção única, com o Nikkei japonês caindo 0,31% e o índice de Shanghai avançando 0,13%. Na Europa as bolsas também operam em sentidos mistos, com o DAX alemão e o FTSE de Londres em respectivas altas de 0,21% e 0,50%, enquanto o CAC francês cai 0,33%. Na região, as atenções se voltam para a reunião da cúpula da União Europeia sobre a recuperação da região. Nos Estados Unidos o índice futuro S&P aponta para abertura de 0,57% e no país, a agenda macroeconômica do dia reserva como destaque as divulgações da prévia do sentimento do consumidor de julho e a construção de moradias em junho. No front corporativo teremos o balanço da BlackRock. No Brasil, a agenda do dia tem as divulgações da 2ª prévia do IGP-M de julho e IPC-S Capitais da 2ª quadrissemana. No front político a reforma tributária é o assunto do momento e Paulo Guedes levará a proposta à casa de Alcolumbre, na próxima semana só com os pontos de consenso, com a CPMF e a taxação de dividendos ficando para uma segunda fase.

Empresas e Setores

  • Caixa Econômica Federal: O banco concedeu aval para a que a Caixa Seguridade prossiga com as etapas de discussões e análises referentes ao registro de oferta inicial de ações (IPO) e possível listagem no segmento Novo Mercado da B3, que foram interrompidas com a eclosão da pandemia de coronavírus em meados de março.
  • CSN (CSNA3): A companhia comunicou que sua controlada CSN Mineração assinou um novo contrato junto à Glencore visando o fornecimento de 4 milhões de toneladas de minério de ferro em até cinco anos, mediante o pré-pagamento inicial de US$ 115 milhões.
  • Eztec (EZTC3): A companhia encerrou o segundo trimestre com vendas líquidas de R$ 123 milhões, queda de 67% em comparação com o mesmo período do ano passado e de 733% em relação ao trimestre anterior.
  • Netflix: A companhia divulgou que sua base de clientes no mundo subiu em 10,09 milhões no segundo trimestre deste ano, ante uma expectativa média de analistas de adição de 8,07 milhões de usuários pagantes.
  • Profarma (PFRM3): O Conselho de Administração da companhia aprovou oferta pública inicial de ações (IPO) da controlada d1000 Varejo, em operação que poderá levantar até R$ 478 milhões.
  • Rio Tinto: A mineradora anglo-australiana informou que os embarques de minério de ferro no segundo trimestre deste ano somaram 86,7 milhões de toneladas, aumento de 1,5% na comparação com o mesmo período do ano anterior.
  • Technos (TECN3): A companhia informou que fundos geridos pela gestora Dynamo reduziram para 14,84% a participação no total de ações.
  • Tenda (TEND3): A companhia encerrou o segundo trimestre deste ano com vendas líquidas de R$ 576 milhões, alta de 20,1% ante o mesmo intervalo do ano passado.

Fontes: Bloomberg, Thomson Reuters, jornal Valor Econômico, jornais diversos e relatórios de terceiros.

Esta mensagem e seus anexos podem conter informações confidenciais ou privilegiadas. Se você não é o destinatário dos mesmos você não está autorizado a utilizar o material para qualquer fim. Solicitamos que você apague a mensagem e avise imediatamente ao remetente. O conteúdo desta mensagem e seus anexos não representam necessariamente a opinião e a intenção da empresa, não implicando em qualquer obrigação ou responsabilidade por parte da mesma. As análises refletem única e exclusivamente as opiniões pessoais dos analistas responsáveis e são elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Capital Investimentos. As estimativas e previsões de eventos são baseadas em informações públicas e em fontes que julgamos dignas de crédito, embora sua precisão e completude não possam ser garantidas. Ocasionalmente, executivos ou funcionários da Capital Investimentos podem, de acordo com o permitido por lei, possuir uma posição, ou de outra maneira estarem interessados em transações com ativos direta ou indiretamente relacionados com este relatório. Rentabilidade passada não assegura rentabilidade futura. Este relatório não constitui uma recomendação de compra ou venda e destina-se apenas a fomentar o debate de ideias. O utilizador aceita que o conteúdo, erros ou omissões não podem ser fundamentos para qualquer reclamação ou ação legal. As informações contidas neste material são de caráter exclusivamente informativo e não devem ser consideradas como uma oferta de aquisição de cotas dos fundos de investimentos. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura,  sempre leia o prospecto e o regulamento antes de investir.